sábado, 13 de fevereiro de 2010

252 - SOBREMESA
Autor: Carlos Henrique Rangel

Bolas de leite
Em calda de rosas...
Calda de rosas...
Em calda de rosas.
É assim que vejo
Seus beijos
Meu amor...

Em calda de rosas,
Bolinhas de leite
A tocar meus lábios.
A lambusar  meu rosto.
A perfumar meu corpo.
Em calda de rosas...

Me sinto seu pasto,
Lugar de amar.
É assim que me sinto...
Seu alimento em calda de rosas.
É assim que me sinto
Meu amor.

253 - RASTROS
Autor: Carlos Henrique Rangel

Minha vida é um eterno rabiscar.
Deixar rastros que vão me dizer sem querer.
Em tudo me vejo.
E você...
Um pouco de mim
Está gravado em você...
E neles.
E alguns deles
Querem me esquecer do mundo.
Não vou chorar o passado.
Não vou me assustar com os imundos.
Vou continuar caminhando pelo mundo
E voando...
Também deixo rastros voando.

Nossos caminhos se cruzam.
Suas pistas me acompanham
E coleciono.
Vejo tantas pegadas...
E rastros...
Mesmo voando.

(Para Fran)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1212 - FOICE