quinta-feira, 6 de maio de 2010

328 - DE NOVO
Autor: Carlos Henrique Rangel

Quando a noite cai
Ouço o fantasma
De minhas dores
Rodeando minha pele.
Te esquecer ...
Somente o Sol
Tem esse poder...
A noite,
Sádica inimiga,
Me chama você
E meus olhos pesados
Banham sua imagem
Até o amanhecer...
Ah ...
Essa rotina estrelada...
Te quero
E te odeio...
Amo mais o Sol...

2 comentários:

  1. Bom amar o sol... ruim quando só temos a noite... intenso, gostei muito do poema, bjus poeta.

    ResponderExcluir
  2. Mas a interiorização acontece a noite. A noite pensamos mais. Sentimos mais... Sofremos mais a solidão.

    ResponderExcluir

1267 - TRÊS MESTRES