domingo, 13 de junho de 2010

372 - AMOR DO PASSADO
Autor: Carlos Henrique Rangel

Esse amor do passado
Não passa, fica a meu lado
Segue-me na lida
E na sobrevida que teimo em levar.
Praças e banco já me conhecem o drama
E me cansa essa monótona tristeza,
Sempre a mesma.
Sempre a mesma...
Você que se foi sem aviso
Eu espero... Sei esperar...
Meu amor do passado é presente
Sempre foi presente...
Está invisível ao meu lado
E não me deixa continuar.
Continuo sofrendo o passado
Como um presente deixado...
Guardo a tristeza como um relicário querido,
Mas o querido é ter você a meu lado.
Empurro a vida como um fardo pesado...
Quem sabe um dia te reencontro no mundo
ou com a sorte dos que amam
Do outro lado...
Do outro lado...



373 - MELHOR LUGAR
Autor: Carlos Henrique Rangel

O melhor lugar do mundo
É esse nosso aqui e agora.
O melhor dos mundos
Foi te encontrar nesse mundo,
Onde dois podem ser um
E gerar mais.
O melhor lugar é está a seu lado
Nesse mundo.
Sabendo seu
O meu mundo.
Sabendo meu
O seu mundo.
O melhor lugar
É aquele nosso lugar.
Universo de dois
Que se querem um.

374 - SAUDADE
Autor: Carlos Henrique Rangel

Meu amor,
A saudade
Tem a cor dos seus olhos
E nubla os meus.
Essa cor que descora a minha,
Que me prostra sem cor
Em mesas sem vida,
É a cor dos seus olhos...

A saudade tem a cor
Rubra de sua boca
E a sede de sua saliva.
Meus olhos não choram mais...
Esgotaram-se as lágrimas...
Foram-se perdidas...

São vermelhas as lágrimas do coração
Que ainda choram sua falta.
A saudade que as alimenta
Tem a cor dos seus olhos...

Eu espero...


375 - LUGAR DO PASSADO
Autor: Carlos Henrique Rangel

Em algum lugar do passado
você se separou de mim.
Não sei como
Não sei onde...
Te perdi.

Em algum lugar do passado
você passou por mim.
E eu não vi...
Mas senti.
Um pedaço de mim
que se perdeu
Em algum lugar do passado
Me deixando manco de mim.

Fui feliz um dia
Naquele lugar de minha mente...
Hoje procuro por ti.
Em algum lugar do presente.

Em algum lugar do passado
Você passou por mim...
Em algum lugar do passado
eu te perdi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

1245 - POSSÍVEL