segunda-feira, 23 de agosto de 2010


413 - CONTAR
Autor: Carlos Henrique Rangel

Vou contar
Como era
Como foi
Como pode ser
Como será.
Eu sei de tudo
Um pouco.
Contado por muitos
Um pouco de tudo...
O futuro
Pode ser melhor
Quase como o passado
Se um pouco
Dele ficar.
Um pouco precisa ficar
Se quero continuar.
Vou contar
Para lembrar
Como era
Como foi
Como pode ser
Como será.
Eu sei de tudo
Um pouco
Contado por muitos
Um pouco de tudo...
Ouça o que tenho
A contar
E você será
Como pode ser
Como foi
Como era...

Eu vou contar...


414 - SEU JEITO DE SER
Autor: Carlos Henrique Rangel

Você não me explica...
Nada me diz.
Inexplicável
Seu jeito de amar...
Se amar é.
Não entendo
Seu egoísmo
Partilhar pode ser...
Melhor...
Depois que tudo passa
Tudo passa para você.
E eu que quero mais
Não sei o que dizer.
Inexplicável
Esse jeito de ser.
Outro pode entender
Eu, carente que sou
Tento
Mas não consigo...
Você não me explica
E eu não sei o que dizer.
Inexplicável
O seu jeito de ser...

2 comentários:

  1. Poema inexplicável, minhas palavras não definem... simplesmente lindo!!!

    ResponderExcluir

1267 - TRÊS MESTRES