terça-feira, 17 de agosto de 2010

410 - EU SEI
Autor: Carlos Henrique Rangel

Pois é...
Foi tudo um engano.
Somos só amigos...
A carência noturna
Nos atraiu
Nos traiu...
Eu sei...
Foi um engano...
Um bom engano.
Mas somos amigos...
Será nosso segredo...

Um ótimo engano...

Pois é...
Eu te disse coisas
E você me consolou.
Eu te consolei
Eu sei...
Uma noite diferente...
Quando fomos
Mais que amigos.
Eu sei...
Foi tudo engano...

Um doce engano...

E ainda somos amigos...
Eu sei...
Somos apenas amigos...
Mas foi bom ser mais que amigos...
Você também achou.
Pois é...
Foi tudo um engano...
Um bom engano.
Um ótimo engano.
Doce engano...
Adorável engano...
Eu sei...


411 - AGOSTO
Autor: Carlos Henrique Rangel

Ah...
Gosto de você...
Gosto de te ver...
Há gosto para tudo.
E eu gosto de você.
Agosto é o nosso mês
Nosso doce agosto.
Nossa receita
Tem sal a gosto.
Ah...
Gosto de você.
Gosto de te ver
De tocar
Do seu ser.
Há gosto para tudo
Nesse nosso mês de agosto.
Esse frio de agosto...
Gosto.
Há gosto para tudo
E do frio eu gosto com você.
Doce agosto
Sou para você.

412 - EU VI
Autor: Carlos Henrique Rangel

Eu vi seus olhos
Na asa da borboleta
E eles não pousaram em mim...

Te vejo em tantos lugares
Menos em mim.

Eu vi seus lábios em flor
Naquele jardim
E não os colhi...

Te vejo em tantas coisas
E nenhuma é para mim.

Vi seu corpo nas folhas da palmeira
E dançava
E bailava...
E não era para mim...
Seu sorriso nas nuvens eu vi.
No alto, longe de mim.

Te vejo em tantos tudo
Só o nada é para mim.

Eu vi suas lágrimas
No chafariz.
Banharam-me a face...
Eram para mim...

3 comentários:

1211 - VISÃO